Esperança perante o caos

“Então o anjo lhe esclareceu: “O Espírito Santo virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra. E por esse motivo, o ser que nascerá de ti será chamado Santo, Filho de Deus. Saiba também que Isabel, tua parenta, dará à luz a um filho mesmo em idade avançada, sendo que este já é o sexto mês de gestação para aquela a quem julgavam estéril. Porquanto para Deus não existe nada que lhe seja impossível!” Diante disso, declarou Maria: “Eis aqui a serva do Senhor; que se realize em mim tudo conforme a tua palavra!”Em seguida o anjo partiu.” (Lucas 1:35-38)

O Natal é uma das datas mais celebradas em todo o mundo. É neste dia que as famílias se reúnem, presentes são trocados, um banquete é posto à mesa, e por um dia inteiro não se falam de problemas. A solidariedade toma conta de cada casa. A família com abastança abre espaço para a compaixão e divide o pão com os necessitados. A família que tem pouco nos ensina o valor da união e da alegria na simplicidade que derrete qualquer coração. Lembro-me de quando criança, nesta época festiva, meu pai comprava vários panetones e me levava junto com ele para compartilhar este doce amor aos garis que trabalhavam na rua de casa.

O natal me lembra que há esperança. Mesmo em meio a pressão e estresse do trabalho durante o ano, mesmo em meio a crise no país, mesmo em meio aos conflitos de relacionamentos em casa, a data 25 de dezembro no calendário já enche os olhos de esperança de que mais um final de ano se aproxima e que há a esperança de que algo novo está para surgir.

Em Lucas 1:35-38, lemos a história do anúncio da vinda do Messias. O encontro entre o anjo Gabriel e a humilde Maria. Uma jovem prometida em casamento, membro de uma simples família e que, de repente, se vê em um propósito inexplicável que envolve todos os povos e as próximas gerações. Ela se via agora dentro de um plano que traria a esperança para o seu povo e para o mundo. Abriu mão de qualquer reputação, pois estava prometida em casamento. Abriu mão da sua própria incredulidade diante do Poder de Deus manifestado, também, em uma parente próxima. Ela se posicionou como a ponte que trouxe a esperança de salvação para toda a humanidade.

Que nesta data especial, possamos nos lembrar do testemunho desta jovem. Tal qual Maria, nos posicionando como uma ponte para a resposta aos problemas presentes, abrindo mão do nosso eu e deixando Deus gerar em nós a esperança para nossa nação, a mensagem de que há um Caminho, uma Verdade e a Vida. E essa esperança para o mundo habita em nós e deseja dar a salvação a todo aquele que nele crê, Jesus esperança nossa.

Autoria: Jônatan Lemes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *